quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Clichê da minha vida amorosa


"Tanto clichê deve não ser. Você me falou pra não me preocupar, ter fé e ver coragem no amor" (Los Hermanos)

Sinto que não te pertenço. Mas queria te pertencer sim, ser propriedade tua. Satisfazer nossos desejos, construir nossa história. Pode parecer que começou errado, talvez teu desejo não fosse meu desejo ou nem ouvesse desejo. Só que acabei desejando, acabei envolvendo demais. E sempre é assim! O que pode mudar é o andamento do barco, a maré pode levar pra lugares mais interessantes ou simplesmente afundar mais uma vez meu barquinho de papel.

Será que vou te ver na porta de minha casa? Será que vou esperar da janela sentindo o vento no rosto? As dúvidas me agustiam, mas sei que o tempo vai dizer o que realmente será. E se não for, eu já acostumei - é sempre assim! O clichê da vida amorosa que insisto em esperar novidade.

Texto de Patrick Moraes

"Enquanto não superar a ânsia do amor sem limites, não poderei crescer emocionalmente. Enquanto não atravessar a dor da minha própria solidão, continuarei a me buscar em outra metade. Para viver a dois, antes, é necessário ser único."

3 comentários:

Ryan disse...

Ser único e possuir AMOR proprio!
Lembre-se sempre disto!

=D

Lailla Mendes disse...

Gostou do clichê também, né trick?
Apesar de que o seu clichê é específico (e não qualquer como o meu, haha)
Menino, você tá apaixonado mesmo!
quero ler seu livro! escreve!
Bjuuuu
TE adoro, malandro! hjaha

ricardo disse...

Shorey litruz!
odiei, brinqs...amey.te peguey, odiei...brinqs, sério, amey.

ashey tão digno!

Oibgosmeliga!