sexta-feira, 29 de maio de 2009

Mesmo pequeno


"I'm just tryin' to make my way. I'm not a superhero" (The Pussycat Dolls)

Detesto me sentir menor! Saber que não sou aquele experiente todo que tentei te passar. Você é criança ainda, começa a aprender nas quedas. Cada brinquedo no chão te faz derrapar, mas você não tem noção precisa do território. Como dizem por aí, eu tropeço nas minhas armadilhas, nas minhas inseguranças, nas minhas crises. O vidro da janela embaça, a porta se fecha sem deixar uma fresta se quer. Já não tenho o patinho amarelo para me fazer sorrir, já não me sinto tão criança como antes. Eu queria ser você agora, mesmo com seus erros, com seus impulsos, desejo ardendo, cabeça sem pensar demais, INSTINTO.

Até aceitaria a torta de chocolate da esquina e sua companhia. Faria muito bem pra mim sua pouca vergonha, seu jeito discontraído de encarar tudo, sua malícia e suas piadas. Parece que nossa amizade cresce naquela saída de um sábado frio e um bar vazio. Nas conversas secretas com direito a comentários só nossos. Listas, risadas, breves comentários e mais risadas. Você não mente, você não se parece com todo mundo, você é você sem se preocupar em ser simples. E vai crescer, perceber que maturidade veio com o tempo e que certas atitudes foram válidas ali atrás, naquele momento, mas que basta. Pior do que isso é ver o quanto é desinteressante pensar demais antes de agir, resguardar demais antes de ceder, fazer charme, ser mistério. No final, a gente se encontra no mesmo lugar, com as mesmas decepções ou talvez com aquela angústia de um final de tarde no meio da semana.

Mesmo pequeno você me ensina a ser menos o que eu quero e mais o que eu sou. Mesmo pequeno você consegue ser grande na presença, na falta, no espaço que conquista. O carrinho de brinquedo parece correr, o pião roda, o macaco brinca de ser esperto e você joga. Joga sem saber o próximo número do dado, sem saber se o quick da bola vai ser ali. Mas espera que no final tudo acabe bem. Assim como eu!

Texto de Patrick Moraes

8 comentários:

Juliano disse...

Sabe quando você fica sem palavras?
Então, é melhor não falar nada e deixar que a emoção tome conta.
AMEI o texto!

Parabéns Best!

Mário Ribeiro disse...

Menino!
Sem palavras mesmo!
Acho que conheço uma pessoa
que deve ter se derretido toda quando leu isso.
Mágico sentimento expressado em óimas palavras.
Parabéns Trick!

Pontinha de inveja =))

Ryan disse...

Você consegue transparecer com palavras o sentimento de quando encontramos alguém que realmente muda o nosso mundo... Sei bem do que está falando e acho isso perfeito!

Raisa disse...

adoray!!!!
certas amizades nos ajudam a perceber coisas a melhorar na gente...

beijo trick!

Ingrid Leite disse...

Oh, nunca li um texto tão legal que falasse desse assunto. Parabéns, roubou minha atenção pelos blogs afora :D

hmm. tô seguindo ;)

Mário Ribeiro disse...

Já comentei aqui e agora eu só deicxo um recado.
Blog da Bruna Caram:

http://www.brunacaram.com.br/blog/

=P

woodstock disse...

wow, vc é um exímio cronista patrick. lindo isso aqui.

Lailla Mendes disse...

Fazia tempo que não te visitava! gosto muito de seus textos, você escreve tão intimamente! é verdade, a gente sempre aprende com as amizades, mesmo quando não assumimos isso... e é engraçado como cada pessoa que passa em sua vida te deixa uma marca diferente, e é aquela marca especial, e que -mesmo que sou clichê- é insubstituível! xD