sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Eis aqui


"De todos os nomes que dei pras minhas crises de consciência" (Frejat)

Decisões sempre são mais difíceis do que se imagina. Prefiro me abster em determinados momentos e vê o que será. Um eterno romance de jardim ou aquele programa de final de ano na praia? Falta distinguir a essência de cada um ou, como de costume, chegarão ao mesmo ponto. Começos diferentes, meios parecidos e finais iguais. Clichê demais pra mim, fajuto em excesso. Deveria evitar subestimar tanto, pode ser diferente.

Um simples barzinho no sábado a noite? Bem sei que preciso disso, sair. Conversar, conhecer novas pessoas e entender novos mundos. Preciso de novos rostos, novas mentes, novos horizontes. Novidade! Mas preciso, essencialmente, buscar completude - se é que isso é alcançado. Ao menos sentir a felicidade em meus olhos, a motivação para deixar velhos trapos atrás, o riso estampado no rosto. Você talvez nem saiba que me faz feliz com um simples elogio, você nem deve entender que um segundo de conversa vale muito. Companheirismo, que venha junto com afinidade, com contraste. Um simples sorvete da pracinha no domingo?

O tempo passa e os problemas sempre continuarão, vestido com novas roupas e encarnado em novas faces. Que saudade daquele céu que cubriu nossos beijos a quase um ano, daquela água ali pertinho e você dizendo que seríamos pra sempre. Do coração acelerado, da vontade de ficar mais uns minutos contigo, o celular que não parava de tocar e nossos risos com toda aquela confusão. Pior é não esquecer isso tudo, mesmo passado tanto tempo. Pior é ver que você foi tão importante que faz parte das minhas melhores lembranças. Nem deveria estar falando de você aqui, o presente parece perder valor quando as tardes de janeiro aparecem.

Eis aqui a grande questão. Quem vale mais, a dúvida do presente ou uma certeza "morta" do passado? Prefiro optar pela decisão do futuro, sábio e convincente.

Texto de Patrick Moraes

Um comentário:

~{★daniєlvictσя} disse...

Em quase todos os posts vc fala de coisas "clichês"... Isso é tãão clichê!

hauhauahuahauhauhauhauhuhaua

=P