terça-feira, 28 de outubro de 2008

Milhares de sambas


As sensações se confundem, se já não sabia definir meus sentimentos antes agora piorou tudo. Quem reclama da rotina recebe um turbilhão de provocações de uma vez só. Pior que sentir o que não quer é querer o que não pode sentir mais. Parece que dois meses foram um vida - de fato, foram! Ao teu lado me sentia completo, meus defeitos você suportava e os seus eram pequenos demais pra mim. Será que eu consigo dizer que já não quero mais um verão como aquele? Já não tenho convicções suficientes como quis impôr tempos atrás. Já não tenho certeza de nada relacionado a você. Te ver é pior do que eu imaginava, me falta chão, me deixa sem sentidos. Ajo como criança, receiosa e instintiva ao mesmo tempo. Teu sorriso me causa frisson, meu sorriso sai sem graça, nervoso. Não consigo definir qual sua intenção me olhando de longe, talvez lembre de nós e até sinta a falta que eu sinto. Talvez eu tenha te causado transtorno demais e o passado deva ficar naquelas praias de janeiro, naquela sala de apartamento, naquela praça à noite, nas mensagens com música, nos depoimentos secretos. Queria rir contigo de novo, brincar, fechar a cara com meu ciúme bobo, mostrar que gosto de você e que não quero te perder. Pena que perdi, sem querer! Só sei que te guardo nas melhores lembranças, ser primeiro é ser pra sempre.

Texto de Patrick Moraes

"Se eu disser que já não sinto nada, que a estrada sem você é mais segura, eu sei você vai rir da minha cara. Eu já conheço o teu sorriso, leio em teu olhar. Teu sorriso é só disfarce, que eu já nem preciso."
(Ana Carolina)

5 comentários:

Marcelle disse...

Ai q lindo...
Trick vc esta cada vez mais inspirado e inspirador...
Te adoro estourinho...
Bjokas riqueza!

Ryan disse...

Hummm... Eu ainda tenho sorte! Não vejo desde o acontecido xZ

Acho que isso me ajudou bastante!

Anaaaa *________*
Saudades de vc amigo ausente!

Raisa disse...

patrick + jequié = inspiração... hahahaha
Beijo-beijo!

Calleo disse...

só digo isso... o texto tá lindoo

Lailla. disse...

Eu ainda compro um livro seu!