sexta-feira, 18 de junho de 2010

Alguém por aí


"And I thought so too when we first held hands." (Poema)

Parado no canto da sala, pensei no tipo ideal. É, aquele que a gente suspira só de imaginar do nosso lado num futuro talvez não muito próximo. Eu sei que já passei da idade de acreditar em belas adormecidas e sapos que viram príncipes. Mas eu também sei que em um lugar existe alguém que será meu, do jeito mais sincrônico e apaixonado possível.

Foi quando eu pensei na lista de exigências habituais que eu costumo discutir em rodas de amigos. Não, não é o trivial que me deixa bobo quando imagino meu final feliz. Já desejei viver a cena de Scarlett Johansson e Chris Evans em O Diário de Uma Babá: comer pizza tomando vinho na escadaria de uma igreja qualquer. É, bobeira minha! Há quem prefira transar na cadeira de dentista, mesmo que num ato de liberdade, como Julia Roberts e Clive Owen em Closer. Mas ainda sou admirador dos tipos mais certinhos, menos complicados e mais encantadores. O bom e velho par de mãos dadas ainda é o elo pelo qual meu coração grita fortemente.

Mas vem também o corriqueiro, o pontual, a lista que só de pensar torna impossível encontrar tal achado. Tem que ter charme e junto uma dose de bom conteúdo, porque beleza só não me convence. Que me faça rir de tardinha, entenda meu silêncio quando acordo e consiga me fazer suspirar à noite. Não precisa saber dançar, mas que saiba cantar bonitinho e faça isso vez em quando só pra mim. Que frequente a academia todos os dias, saiba cozinhar e diga em alguns sábados: "amor, vamos fazer um programinha diferente hoje?". Tá, eu sei que no final a gente vai acabar no mesmo lugar dos outros finais de semana, mas que abuse da criatividade com bom senso, claro. Também não precisa usar só marca, etiqueta pra mim é bom gosto. Que me leve em lugares incríveis, me diga coisas bobas e arranque tudo que for capaz só com o olhar. Alguém que divida, nem que seja o último pedaço da pizza, o último gole de vinho e o grande beijo da noite.

Pode ser alguém que eu nem conheça ainda, pode ser alguém que esteja do meu lado o tempo todo, mas com certeza vai ser alguém que consiga me fazer dizer "Eu te amo" como nunca disse em nenhum instante da vida.

Texto de Patrick Moraes

6 comentários:

Nanna disse...

Ai petrick vc eh taaao fofo!
casa comigo
hehehehe

Mário Ribeiro disse...

- A gangorra balançou.
Imagine assim: Você balançando de olhos fechados, sentindo o vento e o friozinho na barriga. Então você abre os olhos e observa a outra ponta do brinquedo e lá estará.
Quem sabe hoje, amanhã ou depois de amanhã, talvez. Mas estará.

Texto lindo.
Sou seu fã.

jefhcardoso disse...

Tudo tem a hora certa para acontecer.
Jefhcardoso do
http://jefhcardoso.blogspot.com

Carlos Henrique Vieira disse...

Olá Patrick.

[1º visitinha]

Muito bacana o seu blog, adorei os textos, este principalmente.

Essa espera que parece interminável por alguém é sempre muito difícil de suportar, mas não podemos perder as esperanças! Uma hora tem aparecer!

Parabéns mais uma vez pelo blog
Abraço

Weber S. Filho disse...

Premiado no site da Lena, hein?
Méritos, méritos...

O 'alguém por aí' conseguiu me emocionar.
Estamos constantemente em buscas e descobertas, o que é inerente ao ser humano! E, como já dizia o poeta, "nenhum homem é uma ilha", q venha o complemento!!

Parabéns pelo blog. Assim você desbrava mares.

Beberei dessa fonte de belas manifestações do pensamento, a partir de hoje.

novamanha disse...

Cheguei aqui atraves do blog da Lena.
E nao poderia deixar de comentar...sua fomra suave de escrever.
Lendo os textos...(nao apenas esse) consigo imaginar as cenas...e parece que estou sentada no parque ouvindo um velho amigo falar.
Parabens pela sensibilidade e pela linda forma de escrever.
Virei sempre. :D