terça-feira, 3 de março de 2015

Quando eu te disse adeus


Para ler ouvindo "Story in Blue"

Você foi embora, e eu quem disse adeus em silêncio. Eu sei, essa coisa de perder nunca foi fácil para você, que se acostumou desde cedo a ter tudo que quer e na hora que quer. Já não podia mais calar todas as vezes que ouvia você chamar aquilo de romance. É que já não faz mais sentido viver fingindo um amor conveniente. Para mim, amor de verdade só funciona se fizer sorrir, mesmo que chova; se acarinhar o peito, ainda que tudo seja confusão. Amor de verdade precisa vir no volume máximo, mesmo que a melodia soe calma noite ou outra.

Você, que parecia ser a falta que atormentava minhas noites de solidão, abriu a porta e foi embora com lágrimas nos olhos. Ainda me parte o peito te dizer que todo aquele vazio era carência, e que não fomos escritos para sermos dois. Na verdade, demoramos para peceber que já não havia sentido seguir o mesmo caminho se nossas mãos não se atavam mais. O melhor dos sorrisos só acontece quando a gente se permite viver juntos. 

Parece que aprendemos a conviver com as nossas presenças no meio dos farelos de um sentimento que se transformou em pura aceitação. Era cômodo acreditar que as nossas brigas passariam, mesmo que fosse mais lúcido entender que nunca fomos o sonho um do outro. Fomos passagem e nunca um cais, por isso nossos barcos perderam o rumo quando a maré encheu.

Desculpa se meu tom parece amargo, mas meu coração não aprendeu a ser meio termo. Nunca lhe pedi que ficasse, nem para um café, nem para vida inteira. Desculpa se meu peito já não se encanta mais com os nossos abraços. Não nego cada palavra de carinho que te entreguei, nem dispensaria todos os beijos que roubamos. Só que o tempo passou, e o nosso amor acabou se desencontrando. Na verdade, acho que o amor nem chegou a nos conhecer, mesmo que a gente quisesse preencher os nossos vazios com devaneios.

Sem mágoas, o melhor é seguir em frente. Cada um cuida de si e a gente torce para que o destino nos agracie com uma nova história de sorrisos, carinhos e, quem sabe, amor. Eu sei, não é fácil reconstruir as coisas por dentro, mas ser feliz exige coragem.

Texto de Patrick Moraes

Um comentário:

Julio Ricard disse...

Bem fã dessa vez fiquei desse texto, aeew, gostei mesmo!
" Eu sei, não é fácil reconstruir as coisas por dentro, mas ser feliz exige coragem."