domingo, 3 de abril de 2011

Despedaço


Já pensou que quando o trem sai da estação e você simplesmente desistiu de partir, mesmo com as malas prontas, você já não poderá mais entrar nele? Aquela oportunidade de emprego que você resolveu não aceitar, aquele convite para um simples sorvete em uma tarde de domingo que você recusou, tudo que um dia construiu sentado na areia da praia e resolveu entregar às ondas do mar?

Depois de dizer "não" é sempre complicado voltar atrás, depois de virar o rosto é sempre difícil encarar diretamente nos olhos, depois de esquecer é trabalhoso se fazer lembrança. Quantas vezes a gente abre mão sem perceber, dá um passo pra esquerda e não entende que logo em frente existe o verdadeiro tesouro. Às vezes retornar a estrada não é simplesmente engatar a marcha ré de um carro e acelerar. É preciso compreender que determinadas trilhas vão se despedaçando a cada nova curva, que a paisagem lateral se faz de galhos, folhas e, por que não, de horizontes vazios.

Perder a oportunidade de viver outros sorrisos com alguém pelo simples medo de tentar é covardia. Mas perder alguém pela simples covardia de não saber dar valor é incompreensível. Aquela história de a gente só dá valor depois que perde é a pior forma de encarar uma relação que foi pro espaço. Mas antes de ela pegar a nave, a gente se permite cultivar todas as ferramentos de um vôo sem destino de volta. Depois que o pote de jujubas cai no chão, difícil não é conseguir catar as verdinhas preferidas, mas sim colar os pedaços de vidro e se livrar daqueles que se perderam no áçucar sem gosto.

Deixar vazios é charmoso, cativa e cultiva o desejo. Mas toda dose errada é capaz de estragar as melhores intenções. E quando você pensar em viajar de novo, aquele trem já partiu, dança em outros trilhos e a cadeira que seria sua, talvez se encontre ocupada com outra mala, menos sedutora, mas bem mais aconchegante.

Texto de Patrick Moraes

3 comentários:

Jean-Paul Bournet disse...

Você realmente foi fundo em seu devaneio. Parabéns amigo. Também sou um adolescente em crescimento espiritual e emocional com todos os problemas e desafios que temos o direito de enfrentar. Um grande abraço para você. Se quiser "me ler", estou em bournetjp.blogspot.com
Sou amigo de @robertoandersen, que é amigo de @rikiihsouza

marcosmauricio disse...

Muito bom e flexivel com as palavras. Parabéns, vc não tem "futuro", tem o presente mesmo. www.marcosmauricio.blogspot.com

diany disse...

Esse blog parece um canto da minha casa que eu gosto de ficar observando. Sempre que posso, venho aqui ler, leio, leio novamente, leio outra vez e assim vou. Admiro seu trabalho. Não são só as novidade que me atrai por aqui. As postagens mais antigas ja foram lidas inumeras vezes.